15 de julho de 2018

Solidão _______



Solidão

Aproximo-me da noite
o silêncio abre os seus panos escuros
e as coisas escorrem
por óleo frio e espesso

Esta deveria ser a hora
em que me recolheria
como um poente
no bater do teu peito
mas a solidão
entra pelos meus vidros
e nas suas enlutadas mãos
solto o meu delírio

É então que surges
com teus passos de menina
os teus sonhos arrumados
como duas tranças nas tuas costas
guiando-me por corredores infinitos
e regressando aos espelhos
onde a vida te encarou

Mas os ruídos da noite
trazem a sua esponja silenciosa
e sem luz e sem tinta
o meu sonho resigna

Longe os homens afundam-se
com o caju que fermenta
e a onda da madrugada
demora-se de encontro
às rochas do tempo.

Mia Couto

7 de julho de 2018

Simplicidade ___________



Simplicidade

Queria, queria
Ter a singeleza
Das vidas sem alma
E a lúcida calma
Da matéria presa.

Queria, queria
Ser igual ao peixe
Que livre nas águas
Se mexe;

Ser igual em som,
Ser igual em graça
Ao pássaro leve,
Que esvoaça...

Tudo isso eu queria!
(Ser fraco é ser forte).
Queria viver
E depois morrer
Sem nunca aprender
A gostar da morte. 

Pedro Homem de Mello


6 de julho de 2018

Poema desfeito __________________



Os versos e enigmas se misturavam
mas eu sabia decifrar
nas formosas palavras
um perfume de carinho que delas exalavam.
Acabei a imaginar
porque o destino quis
outros rumos tomar
Existência tão desafinada
detém meus sentidos
noutro lugar.
Volúveis, tão insondáveis
estranhas e tão amáveis
eram aquelas palavras
que em verso o poema desfizeram.

MRS

5 de julho de 2018

Caminhante ___________



Caminhante, são teus rastos
o caminho, e nada mais;
caminhante, não há caminho,
faz-se caminho ao andar.
Ao andar faz-se o caminho,
e ao olhar-se para trás
vê-se a senda que jamais
se há-de voltar a pisar.
Caminhante, não há caminho,
somente sulcos no mar.

António Machado

4 de julho de 2018

Jardim perdido ______



Jardim perdido, a grande maravilha
Pela qual eternamente em mim
A tua face se ergue e brilha
Foi esse teu poder de não ter fim,
Nem tempo, nem lugar e não ter nome.

Sempre me abandonaste à beira duma fome.
As coisas nas tuas linhas oferecidas
Sempre ao meu encontro vieram já perdidas


Em cada um dos teus gestos sonhava
Um caminho de estranhas perspectivas,
E cada flor no vento desdobrava
Um tumulto de danças fugitivas.

Os sons, os gestos, os motivos humanos
Passaram em redor sem te tocar,
E só os deuses vieram habitar
No vazio infinito dos teus planos


Sophia de Mello Breyner Andresen

3 de julho de 2018

Angola, meu berço de embalar _____



Angola, meu berço de embalar
sobre a palmeira e o luar
seus feitiços me envolviam,
dia e noite para sonhar.
Angola, meu berço de embalar
sobre a palmeira e o luar.
Terra do batuque e das toadas
pela noite ouvir soar,
Angola, meu berço de embalar,
nas ondas de seu mar baloiçar
Nas chuvadas dançar...dançar
Na memória ouço a sua música.
Angola, meu berço de embalar.
Angola, aiuê!

MRS

2 de julho de 2018

Verão _________



Eu gosto é do Verão
De passear de leque na mão.
Saltar e rir na banheira
De passear e apanhar o calorão. 😀

Vive o Instante que Passa



Vive o Instante que Passa

Vive o instante que passa. Vive-o intensamente até à última gota de sangue. É um instante banal, nada há nele que o distinga de mil outros instantes vividos. E no entanto ele é o único por ser irrepetível e isso distingue-o de qualquer outro. Porque nunca mais ele será o mesmo nem tu que o estás a viver. Absorve-o todo em ti, impregna-te dele e que ele não seja pois em vão no dar-se-te todo a ti. Olha o sol difícil entre as nuvens, respira à profundidade de ti, ouve o vento. Escuta as vozes longínquas de crianças, o ruído de um motor que passa na estrada, o silêncio que isso envolve e que fica. E pensa-te a ti que disso te apercebes, sê vivo aí, pensa-te vivo aí, sente-te aí. E que nada se perca infinitesimalmente no mundo que vives e na pessoa que és. Assim o dom estúpido e miraculoso da vida não será a estupidez maior de o não teres cumprido integralmente, de o teres desperdiçado numa vida que terá fim.

Vergílio Ferreira

1 de julho de 2018

Recomeçar _______



E quem sabe até eu renascer
Algum dia me possa encontrar
Recomeçar o que me fez perder
Descobrir uma forma de mudar

15 de agosto de 2017

O Encontro _______




O encontro

O encontro
fugaz no tempo
mas intenso na vivência!
Encontro com desencontros!
Encontro ao fim de muito tempo com outro encontro,
tempo marcado na vida, na alma, no ser!
Encontro que para permanecer tem de ser coincidente!
Encontro
frágil mas forte,
pouco mas muito,
que fica na mente, na pele, nos olhos,
nas palavras ditas e nas ouvidas!
Encontro com final em desencontros!
Encontro que se esperava ser o final.

MRS