12 de dezembro de 2009

Onde vais?


Onde vais, Portugal, que em minha juventude
Eu tanto amei, ao recordar nossos avós,
Que, feitos de coragem, pelo mar atroz,
Percorreram o mundo em toda a latitude?!

Suas gestas sem par, plenas de virtude,
Voaram pela Terra cantadas na voz
De inspirados poetas, cujo eco veloz
Venceu espaço e tempo em sua magnitude.

Hoje, porém, quantos filhos tentam esquecer
Será ousado sonhar de indómito querer
Vivendo num presente flácido, escuro!

Mas pode um Povo, que renega seu passado
E destrói dos avoengos o heróico legado
Construir, por si só, um brilhante futuro?...

Júlio Augusto Massa

0 comentários:

Enviar um comentário