20 de abril de 2010

Dia a Dia



Dia a Dia

Há uma dor sem fim na lentidão do dia.
Há um pássaro de morte nos ramos do meu dia.
Esta folha reflecte a ausência das tuas folhas e é
branca e a tua face é branca
e sonha.
O teu fruto é um magoado fruto santificando os
caminhos do dia.
Feita será a tua vontade nesta terra no meio dos
céus,
no meio do dia.

José Agostinho Baptista,

0 comentários:

Enviar um comentário