26 de outubro de 2010

deixa o tempo fazer o resto


deixa o tempo fazer o resto

deixa o tempo fazer o resto

fechar janelas

aplacar os barcos

recolher os víveres

semear a sorte

acender o fogo

esperar a ceia

abre as portas: lê a luz

a sombra, a arte do passarinheiro

com três paus

fazes uma canoa

com quatro tens um verso,

deixa o tempo fazer o resto.

Ana Paula Inácio

21 de outubro de 2010

Serenata


Serenata

Permita que eu feche os meus olhos,
pois é muito longe e tão tarde!
Pensei que era apenas demora
e cantando pus-me a esperar-te.

Permita que eu emudeça:
que me conforme em ser sozinha.
Há uma doce luz no silêncio,
e a dor é de origem divina.

Permita que eu volte o meu rosto
para um céu maior que este mundo,
e aprenda a ser dócil no sonho
como as estrelas no seu rumo.

Cecilia Meirelles

15 de outubro de 2010

Soneto 61



Soneto 61

Bendito seja o dia, o mês, o ano,
a estação, e o tempo, e a hora, e o instante,
e o belo país, e o lugar onde eu estava
ligado a dois belos olhos que me prenderam;

e bendita seja a primeira doce aflição / tormento
que haveria de ser com Amor unido
o arco e a flecha com que fui ferido
e as dores que enfim me vêm ao coração.

Benditos sejam todos os poemas que espalhei
chamando o nome de minha amada
e os suspiros e as lágrimas e o desejo

e benditas sejam todas as folhas
em que mereci seu renome e o meu pensamento
que é só para ela, que para outra parte não vai.

Francesco Petrarca

9 de outubro de 2010

Guardar


Guardar


Guardar uma coisa não é escondê-la ou trancá-la.
Em cofre não se guarda coisa alguma.
Em cofre perde-se a coisa à vista.

Guardar uma coisa é olhá-la, fitá-la, mirá-la por
admirá-la, isto é, iluminá-la ou ser por ela iluminado.

Guardar uma coisa é vigiá-la, isto é, fazer vigília por
ela, isto é, velar por ela, isto é, estar acordado por ela,
isto é, estar por ela ou ser por ela.

Por isso melhor se guarda o voo de um pássaro
Do que um pássaro sem voos.

Por isso se escreve, por isso se diz, por isso se publica,
por isso se declara e declama um poema:
Para guardá-lo:
Para que ele, por sua vez, guarde o que guarda:
Guarde o que quer que guarda um poema:
Por isso o lance do poema:
Por guardar-se o que se quer guardar.

António Cícero

6 de outubro de 2010

"Duas lições"



"Duas lições"


I

Todos os materiais servem ao poeta:
o som de um tambor,
a angústia de uma mulher nua,
a lembrança de uma utopia.

A vida deposita, diariamente,
no altar profano da poesia,
a sua dádiva generosa:
estrelas e detritos.

E tudo a poesia sacrifica.

II

Para amar um poema,
é preciso ter coração e
sangue nas veias.

E que o poema seja uma carícia
ou um soco na boca do estômago.

João Melo

1 de outubro de 2010

Divina Música


Divina Música

Filha da Alma e do Amor
Cálice da amargura e do Amor
Sonho do coração humano,
Fruto da tristeza
Flor da alegria, fragrância
E desabrochar dos sentimentos
Linguagem dos amantes,
Confidenciadora de segredos
Mãe das lágrimas do amor oculto
Inspiradora de poetas, de compositores
E dos grandes realizadores
Unidade de pensamento dentro dos Fragmentos das palavras
Criadora do amor que se origina da beleza
Vinho do coração
Que exulta num mundo de sonhos
Encorajadora dos guerreiros,
Fortalecedora das almas.
Oceano de perdão e mar de ternura
Ó música
Em tuas profundezas
Depositamos nossos corações e almas
Tu nos ensinaste a ver com os ouvidos
E a ouvir com os corações.

Kahlil Gibran